Quais temas de história podem cair no Enem 2017?

Durante os últimos anos, o Enem costuma ressaltar em suas questões de história vários acontecimentos nacionais e internacionais que fazem algum aniversário significativo no ano do exame. Para 2017, temos duas apostas chave para temas de história que podem cair na prova: Revolução Russa e Estado Novo. Confira a seguir o resumo dos dois assuntos e o link para assistir a aula completa com exercícios no Geekie Games 😉

Veja também:

O que é Socialismo?
Os assuntos de história que mais caem no Enem
10 filmes para você aprender História
Toyotismo | Conceitos e Definição
Segunda Guerra Mundial | Resumo

Revolução Russa
Revolução Russa de 1917 (100 anos)

A Revolução Russa foi uma sequência de combates que teve como resultado a queda da autocracia e a ascensão do Partido Bolchevique de Lenin ao poder.

O impacto da Revolução foi tremendo e, em grande parte, definiu aquilo que seria o século XX: da Segunda Guerra Mundial à Guerra Fria, passando pela rearticulação do movimento trabalhista mundial e pela própria reorientação do sistema capitalista. Em 2017, a revolução russa completa 100 anos, confira aqui o resumo:

As Causas

Regime Czarista: Existiu uma enorme centralização política nas mãos do czar, um líder que governava em função dos interesses da aristocracia. Essa, por sua vez, é uma classe social que concentrava boa parte da riqueza e das terras.

Desigualdade Social: Devido à concentração da renda nas mãos da aristocracia, boa parte da população se encontra em situação de miséria, agravada ainda mais pelo frio.

Modernização: O Czar Nicolau II decidiu entrar em um processo de modernização da economia russa com um processo de industrialização. Além disso, existia um interesse de expandir os seus interesses comerciais através de uma espécie de imperialismo na região dos Balcãs. Esse mesmo interesse de modernização também culminou em algumas guerras, como a contra o Japão. Por fim, o processo de industrialização também criou duas novas classes sociais: a burguesia (detentora dos meios de produção, os patrões) e o operariado (trabalhadores).

“Grande Ensaio”: O Massacre de 1905

Dentro desse cenário, começam a ser organizadas as reivindicações e manifestações contra o regime czarista. Uma das maiores manifestações ocorreu em Janeiro de 1905, em frente ao palácio de Inverno em São Petersburgo.

O Czar utilizou a força nacional para repreender os manifestantes, o que culminou em um grande massacre. Essa manifestação ficou conhecida como “Grande Ensaio”. Depois delas,  os movimentos entenderam que o inimigo era de fato o czar e só seria possível uma mudança com o fim do regime czarista. Bolcheviques e MencheviquesExistiam dois grandes grupos contra o regime czarista: mencheviques e bolcheviques.

Menchevique: defendiam uma revolução de caráter burguês para depois sociabilizar os meios de produção. A idea básica era a queda do czar e a criação de um Estado liberal. O principal representante e líder era Keresnky.

Bolchevique: defendiam uma proposta de revolução socialista, com a implementação de um Estado nos moldes do socialismo marxista. Seus principais líderes eram Lenin e Trotsky.

A revolução de fevereiro e de outubro

Fev/1917: ascensão de Kerensky –  Depois de diversos conflitos, os mencheviques conseguiram derrubar o Czar e conquistar o poder. Entretanto, a consolidação do poder foi difícil. Existiam movimentos de contra-revolução e mais conflitos. Nesse contexto, os bolcheviques se fortalecem.

Out/1917: vitória dos bolcheviques –  depois de mais conflitos, com a liderança de Lenin e Trosty, os bolcheviques finalmente conseguiram conquistar o poder em outubro de 1917.

Veja também: Documentário completo sobre a Revolução Russa

A Rússia pós revolução

1918 a 1921: Guerra Civil –  os czaristas, juntamente com a nobreza, a burguesia e o apoio de alguns países da Europa formam os russos brancos, lutando para derrubar os bolcheviques do poder. Essa disputa dura longos anos, mergulhando a Rússia em uma guerra civil que durou até 1921.

Pós-1921: Depois de consolidar o poder, os bolcheviques dão os primeiros passos para consolidar o projeto de socialismo na Rússia, como a criação da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) e a Nova Política Econômica (NEP).

   Ver a aula completa de Revolução Russa no Geekie Games

 

Estado Novo 1947 – 1945 (70 anos)

Depois da Revolução de 1930 e o fim da República Velha, Getúlio Vargas comandou o país através de um governo provisório que durou até 1934. Nesse ano, uma nova constituição foi escrita através de uma constituinte e Vargas foi eleito democraticamente para um mandato de presidente. Depois de uma tentativa fracassada de conquista do poder através das armas liderada pelo Partido Comunista Brasileiro em 1935 e a ameaça de uma nova tentativa, Getúlio Vargas foi protagonista de um golpe que deu início ao Estado Novo, que completa 70 anos em 2017.

O que foi o Estado Novo e Características

O Estado novo, ao mesmo tempo que foi uma Ditadura, foi também um Estado de dupla face: politicamente foi uma ditadura centralizadora, repressora e com uso da força. Mas, ao mesmo tempo, existia uma política econômica progressiva, que visava à ampliação da modernização, com um enorme investimento na indústria de base.

Foi também um Estado corporativista, que controla os sindicatos, que por sua vez disciplinam o trabalhador. Através desse mecanismo, o Estado garantia que a classe trabalhadora o apoiasse diretamente. É o chamado sindicato pelego, que funcionava para impedir conflitos de classe entre o Estado e o trabalhador.

A Constituição de 1937

  • Foi outorgada pelo poder executivo, não houve constituinte
  • Nega o federalismo, tirando a autonomia de estados e municípios e centralizando todo o poder no Estado (veja no vídeo abaixo o simbolismo da cremação das bandeiras estaduais)
  • Inclui a pena de morte para crimes contra a segurança nacional
  • Todos os partidos foram fechados no golpe

Corporativismo pelego

Durante o Estado Novo, Getúlio avançou em diversas frentes para melhorar a situação e as condições do trabalhador. A necessidade dessas ações eram a base do corporativismo pelego, necessário para garantir o apoio da classe trabalhadora e evitar conflitos. Os principais marcos foram:

  • 1940: instituição do salário mínimo
  • 1942: criação da nova moeda nacional, o cruzeiro
  • 1943: consolidação das leis de trabalho (CLT) (primeiro código trabalhista)

Além disso, foi criado o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), que exercia o controle dos meios de comunicações e a manutenção da imagem carismática do governo populista de Vargas.

 

Questão do Enem sobre Estado Novo

Questão do Enem de 2015 que discute o papel do DIP. A resposta correta aqui é a letra B.

Industrialização por substituição de importações

A política econômica do Estado Novo foi bastante progressiva, e defendia a continuação da modernização e industrialização do Brasil através dos seguintes pontos:

  • Defesa do setor cafeeiro
  • Protecionismo
  • Incentivos fiscais para a industrialização
  • Incentivos burocráticos para a industrialização
  • Investimento pesado em indústria de base  (indústria que serve para fornecer as bases necessárias para o posterior desenvolvimento da própria indústria, como a siderurgia).
  • Criação da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN); Fábrica Nacional de Motores e da Companhia Siderúrgica de Volta Redonda. Todas utilizando o capital estatal, criadas como empresas estatais.

Brasil na segunda guerra mundial

Política pendular e aproximação com os EUA: De 1939 a 43, o Brasil praticava a neutralidade (política pendular), ou seja, mantinha relações de comércio, tanto para os países aliados, quanto do eixo. A partir de 1943 uma aproximação com os Estados Unidos da América (EUA) começa a acontecer, muito motivada pela política americana da Boa Vizinhança. Isso ajudou diretamente no financiamento da companhia siderúrgica de Volta Redonda, usando o capital estrangeiro americano, fazendo com que o Brasil se aproximasse ainda mais dos aliados e rompesse com o Eixo.

A entrada na guerra: Depois do rompimento, a Alemanha passou a torpedear os navios comerciais brasileiros em águas internacionais. Isso, em conjunto da aproximação com os aliados, fez com que o Brasil entrasse na guerra com a Força Expedicionária Brasileira (FEB) e a Força Aérea Brasileira (FAB), em uma campanha na Itália.

A Crise do Estado Novo

O contexto da entrada do Brasil na segunda guerra culmina em uma crise do Estado Novo, que teve as seguintes características e acontecimentos:

  • Contradição básica: ditadura do estado novo estava lutando contra a ditadura nazi-fascista (não fazia muito sentido)
  • 1943: manifesto dos mineiros foi publicado pela burguesia agrária brasileira, levantando exatamente a contradição acima
  • Relaxamento da censura pelo DIP
  • Decreto da Anistia (1945): presos por crimes políticos receberam o perdão
  • Início do cenário de guerra fria e a consequente campanha pela legalidade do Partido Comunista Brasileiro
  • Novos partidos políticos surgiam: UDN – União Democrática Nacional (defende os interesses da burguesia conservadora) / PSD – Partido Social Democrático e o PTB – Partido Trabalhista Brasileiro, ambos de setores próximos a Vargas
  • Convocação de eleições para constituinte e eleições nacionais

Mesmo nesse contexto, existe um movimento chamado de queremismo, que defende a permanência de Vargas no comando do Brasil. Esse movimento sofreu forte oposição pela UDN, os militares, os EUA e a imprensa. Todo esses acontecimentos culminam na deposição de Getúlio Vargas em 29/10/1945 pelo general Góes Monteiro, finalizando o período do Estado Novo.

   Ver a aula completa de Era Vargas no Geekie Games