Nota: O tema de redação da segunda aplicação do Enem 2016 foi “caminhos para combater o racismo no Brasil”. Leia essa proposta de redação do Enem aqui. Preparamos o tema a seguir no mês de outubro. 😊

Tema de Redação: Desigualdade racial no Brasil

Com base nos textos de apoio, escreva um texto dissertativo argumentativo sobre o tema: Desigualdade racial e as medidas de inclusão no Brasil. Lembre-se de apresentar uma sugestão de intervenção, ou seja, uma possível solução para a questão que você expôs e argumentou na redação. No Enem ou em outro vestibular, a proposta de redação deve vir ao final da coletânea, mas recomendamos lê-la antes de fazer a leitura destes textos.

Leia também: Como fazer uma boa redação
Leia também: O movimento negro

Texto 1

Tema de redação: Desigualdade étnica

Retrato de Zumbi (1655-1695), líder do Quilombo dos Palmares, pintado no século XX, e fotografia da princesa Isabel (1846-1921). Em contextos distintos, e motivados por razões também diferentes, ambos atuaram pelo fim da escravidão.

De Zumbi a Isabel, a luta pela liberdade. E a plena cidadania?

Praticamente quatro quintos da história do Brasil transcorreram na fase escravista. Cerca de 40% do total de escravos enviados a todo o continente americano vieram para o Brasil. E o nosso país foi um dos últimos a abolir a escravidão. Esses dados são o suficiente para demonstrar o peso da escravização de milhões de africanos e indígenas, homens e mulheres, na formação e no desenvolvimento da sociedade brasileira?

Não por acaso a campanha abolicionista foi uma das questões mais polêmicas e incendiárias de nossa história e contribuiu para a queda do Império e a instauração da República, em 1889.

A evolução do capitalismo eliminou o tráfico atlântico de escravos. Políticos, intelectuais, jornalistas, militares e operários se engajaram na Campanha Abolicionista, e ela atingiu seu objetivo num dia 13 de maio.

Mas essa história não acabou com a abolição: faltava a inclusão da população negra nos direitos de cidadania, pois, como afirmou o jurista Joaquim Nabuco, não bastava ao Estado pôr fim à escravidão; havia que dar aos libertos as condições para uma vida digna.

Fonte: Aula do Geekie Games 

Texto 2

A diferença de salário entre brancos e negros/pardos diminuiu em 2015. Ainda assim, os trabalhadores negros ganharam, em média, 59,2% do rendimento dos brancos no ano passado.

Apesar de negativo, o resultado mostra um avanço em relação a 2003, quando começou a ser feita a pesquisa. Naquele ano, os negros não ganhavam nem metade (48,4%) do salário dos brancos.

Fonte: Uol Economia. Disponível em: http://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/noticias/redacao/2016/01/28/diferenca-cai-em-2015-mas-negro-ganha-cerca-de-59-do-salario-do-branco.htm (com adaptações)

 Dica: Veja uma aula sobre argumentação (grátis)

Veja também: ideias para citar na redação

Texto 3

Com pouco mais de três anos de aprovação da lei que instituiu cotas sociais e raciais nas universidades públicas federais, já é possível dizer que a medida alterou a realidade das instituições de ensino. Entre 2013 e o fim deste ano, a política afirmativa terá garantido vaga a aproximadamente 150 mil estudantes negros.

De acordo com dados do MEC, em 1997 o percentual de jovens pretos, entre 18 e 24 anos, que cursavam ou haviam concluído o ensino superior era de 1,8%; o de pardos, 2,2%. Em 2013, após diversas instituições terem seguido o exemplo da Uerj, esses percentuais já haviam subido para 8,8% e 11%, respectivamente.

Uma transformação que ganhou novo fôlego com a Lei 12.711 de 29 de agosto de 2012, a Lei de Cotas. A norma instituiu reserva de 50% vagas em todos os cursos nas instituições federais de ensino superior levando em conta critérios sociorraciais.

Fonte: Portal Brasil  (com alterações). Disponível em: http://www.brasil.gov.br/educacao/2015/11/cotas-elevam-presenca-de-negros-nas-universidades-federais

Pratique também: Tema de redação: prevenção ao suicídio no Brasil
Leia mais: Dicas para fazer uma redação nota 1000

Texto 4

Desigualdade racial

Texto 5

Etnia
et·ni·a

ANTROP. Comunidade ou grupo de pessoas caracterizadas por uma homogeneidade sociocultural com língua, religião e modo de agir próprios; grupo étnico.
Fonte: Dicionário Michaelis 

Texto 6

Raça

  1. Divisão dos vários grupos humanos, diferenciados uns dos outros por caracteres físicos hereditários, tais como a cor da pele, o formato do crânio, as feições, o tipo de cabelo etc., embora haja variações de indivíduo para indivíduo dentro do mesmo grupo. [A noção de raça é bastante discutível, pois deve-se considerar com mais relevância a proximidade cultural do que o aspecto racial.]: “Não seja preconceituoso. Raça é uma só: a raça humana! […] A raça humana se divide, meu senhor, em etnias: a etnia negra, a etnia branca e a etnia amarela etc.”(Z1).
  2. Conjunto de indivíduos que pertencem a cada um dos grupos humanos, descendentes de uma família, de uma tribo ou de um povo, originário de um tronco comum.
  3. A ascendência ou origem de um povo.
  4. Cada um dos grupos de algumas espécies animais, cujos caracteres físicos que os diferenciam se mantêm ao longo de diversas gerações: “[…] no Brasil são pouquíssimos os cães-guias (cerca de quarenta), pois só podem exercer esse ofício os da raça Golden Retriever, uma determinada linhagem de labradores, e outra muito específica de pastores-alemães”(CMa).
  5. Classe de pessoas que revelam possuir certas qualidades que se sobressaem.
  6. Qualidade de indivíduo que se supõe ser própria de origem ilustre, como a coragem, a distinção, a elegância etc.
  7. Grupo de indivíduos da mesma profissão ou que exercem uma atividade comum: “[…] zombava e fazia pouco da raça orgulhosa e soberba dos médicos” (TM1).
  8. Grupo de pessoas que são normalmente identificadas por seus defeitos ou falhas de caráter.

Fonte: Dicionário Michaelis (com adaptações)

Leia também todas as propostas de redação.