A parir dos textos de apoio, escreva uma redação dissertativa-argumentativa sobre o tema: prevenção ao suicídio no Brasil. Lembre-se de apresentar uma sugestão de intervenção, ou seja, uma breve proposta para solucionar a questão que você expôs e argumentou no texto. Tal proposta precisa aparecer no seu texto no Enem, mas não é obrigatória nos vestibulares.

>> Entenda os critérios de correção da redação do Enem
>> Leia o passo a passo para escrever um bom texto

Tema de redação: prevenção ao suicídio no Brasil

Texto 1

Uma pessoa comete suicídio a cada 40 segundos no mundo, diz a OMS

“O Brasil é o oitavo país com maior número de casos em números absolutos. Na taxa por 100 mil habitantes, o país é o 113º no ranking com uma taxa de 5,8 por 100 mil habitantes – menos da metade da média mundial, de 11,4. […]

A agência de saúde da ONU afirma que 75% dos suicídios acontecem nos países mais pobres ou de renda média, e pede que sejam tomadas providências para reduzir o acesso aos meios mais comuns.”

Fonte: O Globo

>> Citações para redação do Enem

Texto 2

prevenção ao suicídio - gráfico da distribuição por gênero no Brasil
Fonte: Jornal O Globo

tema de redação - prevenção ao suicídio

tema de redação - prevenção ao suicídio

>>Leia dicas para fazer uma redação nota 1000

Texto 3

Buscas relacionadas ao suicídio aumentaram após o lançamento da série 13 Reasons Why

“Desde que a série 13 reasons why estreou em 31 de março no serviço de streaming Netflix, pais, professores e especialistas em saúde mental se perguntam que efeito teria sobre os jovens um programa que disseca em seus 13 longos episódios os motivos que levaram Hannah Baker, uma adolescente de 16 anos, a tirar a própria vida. A série virou caso de saúde pública diante da possibilidade de que a personagem influenciasse o comportamento de outros jovens. Havia a preocupação de que a narrativa em primeira pessoa, com a produção requintada de uma grande série, romantizasse a história trágica, atribuindo a culpa a outras pessoas, não a um problema psiquiátrico que poderia ser tratado. […]

Um grupo de pesquisadores americanos revela os resultados de um estudo que avaliou o impacto real da obra sobre a vida dos espectadores. […]

Eles analisaram o volume de buscas de 20 termos ligados a suicídio, como a palavra em si e outras expressões associadas: “como se matar”, “ideação suicida”, “prevenção do suicídio”, “suicídio indolor”, “suicide hotline” (telefones de serviços de apoio psicológico). […] No período estabelecido pelo estudo, a procura por temas relacionados a esse universo foi 19% maior do que era esperado, conforme projeções feitas com base em períodos anteriores. As buscas chegaram a 1,5 milhão a mais.

Suicídio na internet (Foto: Época)

O estudo revelou que a maioria das pesquisas on-line se referia à ideação suicida, associada ao interesse e ao planejamento mental do suicídio. A expressão “como cometer suicídio” teve um aumento de 26% nas buscas, seguida por “pensamentos suicidas” e “citações sobre suicídio”. As expressões “cometer suicídio” e “como se matar” aumentaram 18% e 9%, respectivamente, no período. Por outro lado, a procura por termos ligados à prevenção (como telefones de centros de valorização da vida) também aumentou cerca de 20%. O que significa que a série também pode ter dado sua contribuição para aumentar a discussão sobre o problema.

Deveríamos estar muito preocupados”, afirma Ayer. “Quanto mais alguém contempla a ideia de suicídio, maior é a probabilidade de que a coloque em prática.” A equipe de Ayers não localizou nenhum caso concreto de suicídio motivado pelas buscas suscitadas pela série, mas outros trabalhos sugerem que esse tipo de pesquisa na internet está intimamente conectado a mortes.

[…] Décadas de estudos sobre o assunto mostraram que esse tipo de preocupação não é despropositado: hoje, há consenso no meio acadêmico de que o comportamento suicida pode ser contagioso, tanto que a OMS estabeleceu diretrizes, com base em evidências científicas, sobre como abordar o assunto em veículos de comunicação. Por muitos anos, os jornais adotaram como regra não noticiar casos desse tipo. Com o tempo, as pesquisas mostraram que é preciso falar sobre o assunto, mas de maneiras que levem as pessoas com pensamentos suicidas a procurar ajuda. ”

Fonte: Revista Época

>> Tema de redação: Liberdade de informação
>> Confira todos os temas de redação

Texto 4

Depressão: a doença silenciosa que pode levar ao suicídio

“De acordo com a OMS, 15 a cada 100 pessoas com a doença decidem pôr fim à própria vida.

Provavelmente você já conhece ou ouviu falar sobre alguém que enfrentou a depressão. Isso por quê, em todo o mundo, aproximadamente 121 milhões de pessoas sofrem dessa enfermidade, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

A depressão é uma doença grave que, se tratada corretamente, tem cura. Cerca de 60% a 80% dos casos podem ser tratados com medicação e psicoterapia em um atendimento primário. Sendo assim, identificar os sintomas da depressão (entre eles a falta de ânimo para viver, sensibilidade e emoções a flor da pele e distúrbios no sono), e entender a seriedade da situação é o primeiro passo para ajudar a pessoa depressiva a reverter essa situação. São várias as causas da doença, e em muitos casos seu aparecimento está associado a fortes impactos vividos, como perdas, luto, doenças, conflitos nos relacionamentos, dificuldades ou perdas financeiras.”

Fonte: Portal G1

Texto 5

 

prevenção ao suicídio - tema

“O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email, chat e Skype 24 horas todos os dias.”

Fonte: CVV

Texto 6

Fãs cometem suicídio após morte de Chester, vocalista do Linkin Park

“A publicação afirma que a primeira pessoa que se matou e era fã de Link Park foi uma mulher, mãe de duas crianças e que trabalhava como enfermeira. […]

Minha melhor amiga, que teve uma vida dura, sentiu a morte de Chester de um jeito muito forte e decidiu tirar a própria vida“, teria dito uma das amigas da mulher em entrevista para o portal.

Já o segundo fã que se matou por conta da morte de Chester Bennington foi um adolescente de apenas 15 anos de idade. Ele moraria na cidade de Godoy Cruz, na Argentina. O site informou que quem divulgou a notícia inicialmente foi o jornal argentino Cronica. A polícia teria, então, relacionado a morte do jovem fã da banda com o suicídio de Chester.

O último caso identificado de alguém que tirou a vida inspirado em Chester Bennington, do Linkin Park, foi uma jovem chamada Melissa, que morava nos Estados Unidos, no estado de Delaware. O caso foi relatado pelo portal Alternative Nation, que disse que a fã fez uma publicação de ‘’adeus’’ sobre o Linkin Park dias antes de cometer suicídio.”

Fonte: Blasting News

 

Leia os textos de apoio com atenção e elabore uma redação dissertativa-argumentativa com o tema: prevenção ao suicídio no Brasil. Não se esqueça da proposta de intervenção ao final do texto.

Se tiver alguma sugestão de tema, conta nos comentários! 😀