A data de divulgação do resultado Enem 2018 está prevista para o dia 17 de janeiro de 2019.Já o gabarito oficial será disponibilizado em 14 de novembro.

Se você já fez alguma edição do Enem, pode ver as suas notas de qualquer ano na página do Inep.  

Os espelhos de correção da redação e as notas dos treineiros geralmente são disponibilizadas cerca de 60 dias depois após a divulgação do resultado do Enem.

As notas do Exame Nacional do Ensino Médio (em cada área do conhecimento e na redação) são diferentes do número de acertos.

Por isso, vamos explicar como funcionam as notas do Enem, responder as perguntas mais frequentes e, mais importante, explicar como esse sistema pode afetar seu resultado final.

Talvez você tenha visto a sigla TRI (que significa Teoria da Resposta ao Item). Mas você sabe o que ela significa? Confira a seguir.

Como ver as notas do Enem passo a passo

Primeiramente, entre na página do participante do Inep. Preencha o seu CPF, senha e escolha o desenho solicitado.

Se você esqueceu a senha do Enem, saiba como recuperá-la.

resultado do enem 2016

Na página do participante do Inep, você pode acompanhar a sua inscrição, desde o pagamento da taxa de inscrição, à consulta ao local de prova, ao resultado do Enem

Em seguida, você poderá ver a sua nota.

Notas do Enem

Está aguardando pelo resultado? Vamos disponibilizar o gabarito extraoficial do Enem 2018 após as provas e você poderá usar o simulador do Sisu para saber se passaria no curso dos seus sonhos. Basta inserir as notas do Enem para começar. Ele é gratuito 😊

O espelho da redação ficará disponível em meados de março de 2019. Com ele, é possível visualizar detalhadamente o seu domínio em cada uma das competências da redação e como isso teve impacto na sua nota.

Se você está estudando para o Enem, esta é a sua chance de saber o que melhorar na próxima dissertação!

Notas e resultados do EnemDesempenho nas competências 1 e 2 da redação do Enem
Detalhes sobre a nota nas competências 4 e 5 da redação

Veja também como a sua nota da redação se compara à média.

Ficou com alguma dúvida? Saiba mais no vídeo a seguir.

Se você fez o Enem entre 2009 e 2014, entre nessa página de resultados do Inep. Escolha o ano em que você fez a prova, digite seu CPF, senha e o texto da imagem.

resultado do Enem 2016

Página de login para ver o resultado Enem de 2009 a 2014

Em seguida, você verá o seu desempenho oficial em cada área do conhecimento.

quando sai o resultado do Enem

Saiba também:
12 coisas sobre o edital do Enem
Como foi a prova do Enem 2016
Inscrições, datas e edital do Encceja, o exame para obter o certificado de conclusão do Ensino Médio.

Por quanto tempo vale a nota do Enem?

Dependendo do seu objetivo com o Enem, o seu resultado pode ser utilizado por um ano ou por mais de seis anos!

Para concorrer a uma vaga em uma universidade pública pelo Sisu, e para se inscrever na seleção do Prouni – que oferece bolsas de estudo em faculdades particulares você precisa ter feito do ano anterior.

Para participar do Fies – que permite financiar a mensalidade de instituições privadas de ensino superior, basta ter feito o Enem a partir de 2010, quando entrou em vigor o novo modelo de prova.

Entenda todas as possibilidades para utilizar o resultado Enem nesse post.

Como calcular a meu resultado Enem?

A nota do Enem é calculada e processada através de computadores. Você não pode somar o número de acertos e prever o resultado no Exame porque ele não é obtido por um cálculo simples. Você consegue saber o resultado apenas quando ela é liberada oficialmente pelo Inep.

Os simulados oficiais do Enem, produzidos pela equipe do Geekie Games, contam com a metodologia TRI. Por isso, o desempenho é calculado da mesma forma que o Enem. Não perca a data do próximo simulado e comece a estudar agora.

Quero fazer um simulado do Enem

Por que a nota do Enem é diferente da porcentagem de acertos?

Você já deve ter ouvido falar que dois alunos que acertaram o mesmo número de questões podem não obter a mesma nota. Segundo o próprio guia do participante do Enem:

“a nota não é calculada levando-se em conta somente o número de questões corretas, mas também a coerência das respostas do participante diante do conjunto das questões que formam a prova realizada.”

O Enem entende que um aluno que vai acertando as questões fáceis até um nível (o nível 600, por exemplo) e depois começa a errar as questões mais difíceis (acima do nível 600) é mais coerente do que um aluno que acerta questões difíceis mas erra as fáceis. Afinal de contas, como você pode saber uma matéria difícil se não acerta o básico? O Enem entende que, nesse caso, o aluno foi incoerente e provavelmente deu sorte ou “chutou” as respostas. A nota do primeiro aluno será maior que o do segundo.

Dessa forma, o Enem pode ser considerado uma prova mais justa em relação aos vestibulares tradicionais.

Leia também: Fui mal no Enem. E agora?

Como funciona a Teoria da Resposta ao Item?

A TRI, abreviação para Teoria de Resposta ao Item, é um sistema estatístico que não foi inventado por quem faz o Enem. Ela existe há mais de 50 anos e é usada internacionalmente, inclusive em outros exames importantes como o SAT (o “vestibular” dos Estados Unidos).

Segundo a Teoria da Resposta ao Item, cada questão é um item 📌. Os itens possuem diferentes pesos que dependem da sua propriedade. Portanto, a TRI não avalia sua nota contando apenas acertos e erros. É um pouco mais complexo que isso.

No Enem, cada questão, ou item, tem três parâmetros (informações):

  • Discriminação: ajuda a diferenciar a habilidade dos alunos, entre os que dominam e os que não dominam aquele assunto
  • Grau de dificuldade: o quão difícil é aquela habilidade avaliada na questão
  • Acerto casual: a probabilidade de um aluno acertar a questão casualmente, sem dominar aquela habilidade

O Inep, a partir de vários testes de questões, montou um banco de dados com milhares de itens com estes três parâmetros conhecidos. Para montar a prova do Enem, são selecionadas 180 questões deste banco.

Depois disso, os itens são colocados numa régua. Dentro de uma área do conhecimento (Matemática e suas tecnologias, por exemplo), existem questões com um nível menor (por exemplo: questões de operações básicas) e questões com um nível maior (questões que envolvem funções e gráficos, por exemplo) nessa régua.

A vantagem vem agora: para serem avaliados, os participantes são colocados na mesma régua. Para receber nota 600, por exemplo, você deve ser capaz de acertar as questões “classificadas” com nota 600 ou menos, nessa escala, de maneira consistente.

Ou seja: sua nota do Enem não depende da nota dos outros participantes, e sim do posicionamento das questões na régua. Além disso, a mínima não é 0 e a máxima não é 1000. O mínimo e o máximo em cada prova também dependem somente das questões que compõem a prova.

Como a TRI me afeta?

É importante acertar questões difíceis, desde que você acerte as fáceis também. Caso contrário, o sistema entende suas respostas como inconsistentes, como já explicamos.

Porém, isso não significa que uma questão acertada “no chute” vá tirar pontos de um participante: ela só vale menos do que uma questão acertada de maneira coerente. Portanto, nada de deixar questões em branco! Uma questão certa sempre aumenta a nota, e uma questão em branco é sempre corrigida como errada.

Segundo especialistas em Enem, a melhor estratégia é ler a prova e começar resolvendo as questões que parecem fáceis . Se você percebeu que uma questão é difícil, pule para outra mais simples e deixe as mais complicadas para o final.

E o resultado da redação?

A prova de Redação é a única que não segue a TRI – sua nota varia de 0 a 1000, seguindo outros critérios, que são explicados nestes posts sobre redação.

Agora que você já sabe como acessar o resultado do Enem 2018 e entendeu como funcionam as notas segundo a Teoria da Resposta ao Item, saiba tudo sobre o Enem, Prouni, Sisu e Fies.