A proposta de redação do Enem normalmente aborda temas relevantes para a sociedade e que podem ser amplamente discutidos. O tema da redação visa a conscientizar os candidatos a respeito de questões importantes para a vida em sociedade. Para fazer uma boa redação é necessário estar atento aos temas atuais. Pensando nisso, selecionamos 10 possíveis temas de redação para o Enem 2018. 😉

Alguns temas amplos, como inclusão social, são recorrentes nos temas de redação do Enem. No ano passado, o tema “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil” foi um exemplo desse tipo de assunto. E nós sugerimos, aqui no blog, que a inclusão de deficientes seria um possível tema em 2017.

Em 2016, o tema “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil” foi outro exemplo da inclusão social como tema da redação. Então vamos aos temas?

Aulas de redação grátis

10 possíveis temas de redação do Enem 2018

Preencha o cadastro a seguir para receber os possíveis temas da redação no seu e-mail e praticar com eles. 😀











1. Reaparecimento de doenças erradicadas

Gráfico mostrando a queda na vacinação contra poliomielite - ilustrando possível tema da redação do Enem 2018

Fonte: BBC Brasil

Algumas doenças como Gripe A, Rubéola, Sarampo, Poliomielite, entre outras já estavam controladas no Brasil por meio, principalmente, de vacinas. Entenda mais sobre imunização na aula grátis. 😉

Porém os últimos anos vêm registrando indícios do ressurgimento dessas doenças.

As maiores causas deste problema estão na falta de campanhas sanitaristas que combatem a proliferação de vetores e também na falta de vacinação.

Movimentos anti-vacinas se espalham pelo Brasil e, com isso, crianças deixam de ser imunizadas. Isso colaborou para o aumento da circulação dos vírus e bactérias.

Caso este seja o tema, é importante lembrar da Revolta da Vacina ocorrida no Rio de Janeiro em 1904. Também vale estudar o surto de Peste Negra que dizimou ⅓ da população europeia no fim da Idade Média.

Estude a Revolta da Vacina

Leia também:
11 citações e ideias para a redação
Temas que já caíram na redação do Enem

2. O efeito das fake news na sociedade brasileira

As fake news são notícias falsas fabricadas para enganar pessoas. Elas são disseminadas principalmente por meio das redes sociais como Facebook, Twitter, Blogs e grupos de Whatsapp.

O Facebook já adotou medidas para prevenir a disseminação de notícias falsas, porém em grupos de Whatsapp, onde as mensagens são criptografadas, é um pouco mais difícil combater.

A maior utilização de notícias falsas se dá para manipular informações e assim influenciar nas decisões políticas, atacando pessoas, partidos e instituições.

O efeito das fake news é uma guerra de informações, na qual é necessário um maior senso crítico para distinguir o fato real e a mentira.

É importante lembrar que a eleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, se deu em meio à proliferação de notícias falsas vindas de uma agência em Moscou.

Em ano eleitoral no Brasil, tenha atenção às influências das fake news nas eleições deste ano.

Em junho de 2018, cerca de 12 milhões de pessoas compartilharam notícias falsas em suas redes. É preciso lembrar da recente pesquisa do Ipsos em que o Brasil aparece como o povo que mais acredita em fake news.

Saiba também:
Como funciona a nota da redação
Quais são os critérios de correção

3. Depressão e suicídio entre a juventude

Gráfico mostrando um pico de suicídio na juventude - possível tema de redação para o Enem 2018

Fonte: BBC Brasil

O suicídio é a quarta maior causa de morte entre os jovens de 15 a 29 anos no Brasil. Se analisarmos o cenário mundial sobe para segundo lugar, com quase 1 milhão de mortes anualmente, perdendo apenas para a violência.

Atualmente o suicídio está sendo tratado como um caso de saúde pública por haver uma incidência alta e constante.

A depressão é o principal motivo que leva os jovens ao suicídio. Ela cresceu 18% entre 2005 e 2015.

Além disso, muitas pessoas ainda deixam de procurar tratamentos especializados para a depressão. Isso se dá principalmente por preconceito e desinformação a respeito da doença.

Uma referência muito falada no ano de 2017 e 2018 é a série “Os 13 Porquês”, na qual a personagem principal se suicida.

Por causa da série, o número de ligações para o CVV (Centro de Valorização da Vida) aumentou drasticamente, mas também a série foi considerada gatilho para muitos jovens.

Outra referência importante é o livro do período romântico Sofrimentos do Jovem Werther que levou muitos jovens ao suicídio.

Continue lendo:
Como fazer uma redação nota 1000
Assuntos que mais caem no Enem
Dicas de interpretação de texto

4. Prática de bullying e cyberbullying nas escolas brasileiras

Relacionado ao tema anterior, é também um caso de saúde pública. O bullying é uma prática ainda muito comum nas escolas e está relacionado a problemas como ansiedade, depressão e queda na auto-estima.

Muitas vítimas de bullying não contam o ocorrido para seus pais, professores ou colegas por vergonha ou sob ameaça.

O cyberbullying é apenas uma adaptação do bullying para os meios virtuais. O cyberbullying pode ter efeitos ainda piores no psicológico da vítima, já que o ambiente de propagação da violência é maior.

É um desafio para os educadores lidar com o bullying e, principalmente, o cyberbullying nas escolas.

Mas vale a pena ressaltar que o próprio Ministério da Educação realiza ações que incentivam as escolas a ter um ambiente mais pacífico e mais diverso.

5. A dependência das rodovias para o escoamento da produção

Imagem de caminhões parados em greve

Fonte: El Pais

Até 1920, o Brasil investiu fortemente em ferrovias. Porém este investimento passou para o sistema rodoviário, considerado mais barato e mais simples a partir da década de 30.

O Brasil tem a maior concentração de rodovias para transporte de carga e passageiros entre as principais economias mundiais. A malha rodoviária é a responsável pelo escoamento de 75% da produção no país.

A Greve dos Caminhoneiros de maio, que gerou muita polêmica em 2018, mostrou essa dependência do Brasil em um sistema único de transporte.

Quando os caminhoneiros pararam, houve um apagão logístico, e muitas cidades ficaram assustadas com possibilidade de desabastecimento.

6. Desafios do envelhecimento da população e da maior expectativa de vida

Pirâmide etária da população

Fonte: IBGE

A expectativa de vida no século XIX era de 33,7 anos. Porém, com os avanços tecnológicos e da medicina, em 2016 o número chegou a 75,8 anos.

Aumentar a expectativa de vida é algo positivo, porém gera novos desafios econômicos e sociais.

O estatuto do idoso, de 2003 garante direitos básicos para a população idosa. Mas são necessárias mais medidas como garantia de aposentadoria, de serviços médicos, de transportes, segurança, entre outras, para assegurar maior qualidade de vida a este setor da população.

7. Maus tratos e abandono de animais

Infográfico mostrando as principais causas de abandono de animais

Fonte: Época

Na cidade de São Paulo, por exemplo, cerca de 500 animais são resgatados por mês das ruas. A maior parte deles foi abandonada pelos próprios donos.

No âmbito estadual, há uma lei que pune com multa de R$3.000 e pena entre três meses e um ano de prisão a quem abandonar ou maltratar animais no estado de São Paulo. No âmbito federal, há detenção de até 3 anos de cadeia.

Este crime cresce nos períodos de férias. Os donos não têm onde deixar os animais enquanto viajam e decidem abandoná-los nas ruas, hospitais veterinários ou abrigos.

Isso é consequência da adoção irresponsável, que ignora as necessidades dos animais.

8. Os impactos da nova reestruturação familiar na sociedade brasileira

Infográfico mostrando a nova organização da família brasileira

Fonte: Istoé

O modelo tradicional familiar vêm se reestruturando ao longo dos anos devido às novas dinâmicas sociais.

Este novo modelo leva em consideração a participação da mulher no mercado, a queda na taxa de fecundidade e o envelhecimento da população.

São números expressivos de famílias sem filhos; de recasamentos; de uniões homoafetivas; de casamentos não oficializados nem no civil, nem no religioso; de pessoas vivendo sozinhas; entre outras novas estruturas familiares.

A maior vantagem destas novas estruturas são as maiores possibilidades de se formar um lar saudável e equilibrado.

Porém, ainda há muito preconceito e falta de aceitação, além de demora na legislação para se adaptar às novas configurações familiares.

9. Os desafios da mobilidade urbana

É um tema muito ligado à dependência brasileira do sistema rodoviário. A mobilidade urbana é um desafio nas principais cidades brasileiras. Isso se dá seja por causa do aumento do número de carros, seja pela baixa qualidade dos transportes públicos.

A maior cidade que sofre com os grandes congestionamentos é São Paulo. Em média o paulistano pode passar 45 dias do ano no trânsito.

Uma medida que já está sendo tomada pelas grandes capitais é a implementação de ciclofaixas nas principais vias. Isso melhora a locomoção com bicicletas, diminuindo o transito e a emissão de gases poluentes.

Outra forma importante de melhoria na mobilidade urbana é o maior investimento na malha ferroviária e no ampliamento das linhas de metrô.

É possível lembrar das questões ambientais, já que o diesel usado como combustível dos ônibus emite grandes quantidades de gases estufas que aumenta a poluição atmosférica.

10. Aumento das DST’s entre os jovens brasileiros

Infográfico mostrando maior crescimento da Aids e outras DSTs entre jovens

Fonte: Uol 

O número de pessoas infectadas por doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), como sífilis, gonorréia e Aids cresceu quase 100% em todos os estados brasileiros nos últimos anos. Saiba mais sobre as DSTs na aula grátis

A maior parte da transmissão se dá entre os jovens entre 15 e 24 anos.

Muitas vezes, o tratamento das DST’s é um tabu. Com a falta de informação e educação sexual efetiva nas escolas, os jovens acreditam que estas doenças já fazem parte do passado.

Além disso, a expansão dos métodos contraceptivos contribui para reduzir a adesão ao uso dos preservativos.

A linguagem das políticas públicas de proteção está defasada e não acompanha a realidade dos jovens que não vivenciaram as mortes e complicações dadas pela Aids.

E você? O que achou dos possíveis temas da redação do Enem 2018? Tem algum outro palpite?