Meu nome é Felipe Romão, tenho 25 anos, sou assistente contábil de um hospital, tenho uma filhinha linda de dois anos e uma esposa maravilhosa. Estudei em escola pública em São Bernardo do Campo (SP), concluí o Ensino Médio em 2011 pelo Enem. Fiz uns 2 semestres de Ciências Contábeis em 2012, mas não gostei, então parei. Somente em 2016, decidi voltar a estudar e seguir meu sonho de ser médico. Em 2017, passei em medicina na UFRJ com o Sisu.

Desde que me lembro, sempre tive vontade de fazer medicina, mas acreditei que não era para mim, que o vestibular era muito difícil, e só quem tinha muito dinheiro poderia conseguir.

 

Ferramentas de estudo 

Escolhi o Geekie Games porque a plataforma foge do convencional. Mais do que estudar, para medicina, é imperativo que se aproveite o tempo de estudo. E o plano do Geekie faz exatamente isso: permite que o aluno aproveite completamente a aula. E ainda fornece uma análise de desempenho que permite saber quais os pontos fortes e fracos de cada um.

Além do Geekie, usei uma técnica de revisão que aprendi com um amigo. São os flashcards, pequenos pedaços de papel onde você escreve um termo de um lado e a definição de outro.

Eu fazia enormes baralhos de todas as matérias e ia procurando responder. São uma ferramenta maravilhosa quando se precisa fixar conteúdos e certamente utilizarei agora na UFRJ.

como passei em Medicina: fazendo uma revisão de estudos com flashcards

Exemplo de flashcards para fazer revisão de estudos. Fonte: Pinterest

Procurava fazer revisões praticamente todos os dias. Se hoje eu fosse estudar Física, por exemplo, antes de iniciar os estudos do dia eu revisava assuntos anteriores que se relacionavam com o novo assunto que seria estudado.

É aqui que entra a análise de desempenho do Geekie. Fazia os exercícios de Raio-X, assistia à aula, fazia os exercícios e o check list. Depois utilizava a ferramenta de análise de desempenho para ver em qual nível estava.

Era assim que eu selecionava a frequência e quais assuntos deveriam ser revisados com mais urgência e quais não precisavam de tanta atenção.

Foi durante os simulados que eu sabia quanto estava progredindo e onde focar meus estudos durante a semana. Então durante os finais de semana eu procurava simular o Enem utilizando as provas anteriores. Realizei todas as provas de 2009 até 2015, inclusive as edições PPL (para pessoas privadas de liberdade).

 

Como foi minha rotina de estudos

No ano de 2016, cinco anos após ter concluído o Ensino Médio, eu decidi que iria ser médico. Para isto, coloquei em mente que seriam necessárias duas coisas, a primeira seria uma grande dedicação e a segunda seria tempo de qualidade.

Eu trabalhava das 07:30 às 17:18 de segunda à sexta e às vezes de sábado, e ainda tinha uma família que necessitava do meu esforço e atenção. Por isso, estudava na maior parte do tempo das 18:00 às 03:00 da manhã, mas fazia pausas e ficava um pouco com a família.

Eu estudei exclusivamente em casa, e contar com o apoio total de minha família foi a chave para o sucesso.

 

Dificuldades enfrentadas

Quando você estuda e trabalha, o cansaço é seu pior inimigo. Antes de qualquer coisa, é preciso entender que, para ter algo grande, é preciso pagar, e o preço é muito alto. 

Não é nem um pouco fácil, mas quando queremos muito ser médicos, temos que ter em mente que esforço nenhum é em vão, e nossos futuros pacientes não merecem nada menos que toda a nossa força, então nada de desistir!

Como me inscrevi para os vestibulares

O que me influenciou a prestar exclusivamente o Enem foi minha rotina. Como o tempo era limitado, decidi especificar o meu estudo para um única prova, isto é, aprender como ela é feita, como é corrigida, por quem, quanto tempo leva, enfim, tudo que se pode aprender.

Escolhi a UFRJ por dois motivos básicos. Primeiro porque não passei em São Paulo e segundo porque é a UFRJ, a universidade é simplesmente um máximo, só estando lá para ver.

Escolhi o Sisu por motivos políticos. Poderia fazer medicina perto de casa com o Prouni ou Fies, mas, no atual estado econômico em que se encontra o Brasil, não considero seguro utilizar os programas sociais e correr o risco de não me formar.

 

Como passar em Medicina: dicas de estudo 
como estudar para passar em medicina

Acredite em você

Se o seu sonho é ser médico, você provavelmente vai ouvir que é muito difícil, que não é para você, que o
vestibular é muito concorrido e até que é um curso elitista e só para gente de condições financeiras muito privilegiadas, mas entenda uma coisa: só você é capaz de dizer até onde vai chegar!

 

Não desista

Novamente, as dificuldades virão, mas se você acreditar em si mesmo e persistir, nada na Terra é igual à sensação de ver seu nome na lista de aprovados.

Seja um especialista

Mais importante do que estudar, é saber para o que está estudando. Então escolha os vestibulares que vai prestar e procure aprender o máximo sobre eles. Visite as instituições, leia os editais,  converse com quem entende e faça as provas anteriores. Isso lhe dará uma vantagem enorme sobre muita gente.

 

Descanse

Na minha melhor época, eu estudava nove horas por dia e trabalhava, mas é humanamente impossível manter este ritmo durante muito tempo.

Cheguei a começar a esquecer o que havia estudado recentemente e até a desmaiar, então vamos respeitar os nossos corpos ok?!

Tirar um tempinho para brincar com uma criança, assistir a um episódio de alguma série (sem exageros…rs), fazer alguma atividade física, dormir…Tudo é muito importante para a manutenção de um estudo de qualidade.

Por último, eu quero dizer que se você pode sonhar, então você pode fazer, acredite!